domingo, 25 de maio de 2008

GP de Mônaco de 2008 - Resultado

Até agora, a melhor corrida da temporada. Estranho ouvir isso quando o GP em questão é Mônaco, etapa tradicionalmente conhecida pela monotonia e pela dificuldade em se realizar ultrapassagens - aquelas históricas 40 voltas de Coulthard atrás de Bernoldi, em 2001, provam isso. A vitória ficou com Lewis Hamilton, da McLaren, que agora lidera o mundial com três pontos de vantagem para Kimi (2º), e quatro a mais que Felipe Massa (3º).

Massa, após uma surpreendente pole - por ser ele, e não pelo tempo, tendo em vista que estava mais leve -, acabou conquistando a terceira colocação. Vinha muito bem e tinha boa vantagem quando, na volta 8, após uma batida entre Coulthard e Bourdais, o Safety Car entrou. Porém, ao contrário do que Lord Galvão Bueno quer nos passar, não foi aí que Massa perdeu a chance de vitória.

Foi na volta 15 que aconteceu o fato que impediria o brasileiro de vencer: na "Saint-Devote", primeira curva após a linha de chegada, Massa escapa e tem de fazer um giro para retornar à pista. Nesse mesmo momento, Robert Kubica já o estava ultrapassando. É algo interessante de se notar que, ao contrário de muitos que rodaram (como o outro brasileiro, Nelson Ângelo Piquet, que abandonaria nessa mesma curva), Massa usava pneus intermediários, e NÃO USAVA pneus lisos.

Aliás, devemos registrar que Felipe, além de admitir "não gostar" de Mônaco, parece ter problemas especialmente como essa curva. Mas Massa acabou se saindo relativamente bem: levou uma "sorte" pois Raikkonen, seu companheiro de equipe e adversário direto na disputa pelo título, esteve num dia pior: tudo começou por um erro crasso cometido pela equipe, o mesmo que haviam feito no GP do Japão de 2007 (registre-se aqui que, curiosamente, a equipe da TV não falou que a Ferrari estaria favorecendo o brasileiro em detrimento do finlandês).






Na volta de número 11, o finlandês foi obrigado a passar pelos boxes, como forma de punição; 15 voltas depois, na 26, Kimi teve uma leve batida na mesma curva de Massa e Piquet, ficando com a asa dianteira danificada. Ele voltou aos boxes para trocar o bico, e mais lambança: a equipe atrasou sua parada, perfazendo um total de 16,1 (registre-se aqui que, curiosamente, a equipe da TV não falou que a Ferrari estaria favorecendo o brasileiro em detrimento do finlandês).

E, por fim, já nas últimas voltas, quando estava em 5º com grandes chances de chegar em 4º - o que daria a Raikkonen 5 pontos no certame, e o colocaria como líder, 6 pontos acima de "Felipe Massa do Brasil" -, o Ferrari fica visivelmente desgovernado e leva o conterrâneo de Mika Häkkinen a bater em Adrian Sutil, terminando a prova em 9º. Registre-se aqui a alegria da TV ("eram os pontos da Malásia!"), e que o piloto da Force India isentou o finlandês de culpa.

E onde estava Hamilton? O piloto inglês, que logo no início da prova havia batido e teve de fazer trocas nos boxes, passou a liderar a corrida na volta de número 32, após a parada de Felipe e de Robert Kubica (que parara na volta 26). A partir de então, Lewis começou a liderar, abrindo boa vantagem, que o permitiu parar novamente nos boxes e retornar ainda em 1º, numa vitória tranqüila e com muita autoridade.
Além da ótima atuação do piloto inglês, merece destaque o já citado polonês, que terminou em 2º, mas foi praticamente o único dos pilotos que não cometeram nenhum erro durante toda a corrida.
Também merece menção honrosa o australiano Mark Webber, que com a 4ª posição no GP chega a 15 pontos, os mesmos de Heikki Kovalainen da McLaren, que hoje encerrou a corrida em oitavo. Outro brilhante foi Sebastian Vettel, da fraquíssima Toro Rosso, que marcou um 5º lugar. Kazuki Nakajima (o filho daquele), foi o sétimo. E, por fim, vale falar nos 3 pontos de Rubens Barrichello: com esse sexto lugar, o brasileiro põe fim ao jejum do ano passado.
Vale lembrar que, esse ano, na Austrália, Rubens também fora o sexto, mas acabou sendo desclassificado. E, curiosamente, foi com essa desclassificação de Rubens que Kimi Raikkönen conquistou o ponto que agora o separa de Massa. Kimi, aliás, apesar de todos os problemas que enfrentou registrou a volta mais rápida da corrida, e igualou a marca de Jim Clark, com 28 recordes de pista. O finlandês só está atrás de Schumacher (76), Prost (41) e Mansell (30).
Confira a classificação do mundial de pilotos e de construtores:
PILOTOS
  1. Lewis Hamilton - 38
  2. Kimi Raikkonen - 35
  3. Felipe Massa - 34
  4. Robert Kubica - 32
  5. Nick Heidfeld - 20
  6. Heikki Kovalainen - 15
  7. Mark Webber - 15
  8. Fernando Alonso - 9
  9. Jarno Trulli - 9
  10. Nico Rosberg - 8
  11. Kazuki Nakajima - 7
  12. Sebastian Vettel - 4
  13. Rubens Barrichello - 3
  14. Jenson Button - 3
  15. Sebastian Bourdais - 2

CONSTRUTORES

  1. Ferrari - 69
  2. McLaren - 53
  3. BMW - 52
  4. Williams - 15
  5. Red-Bull-Renault - 15
  6. Renault - 9
  7. Toyota - 9
  8. Toro Rosso - 6
  9. Honda - 6

Previsões - GP de Mônaco 08

Os treinos deste sábado apontam Felipe Massa na pole-position, seguido por Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton. Ao contrário das previsões, as chuvas vieram antes e depois dos treinos oficiais. Mesmo assim, a surpresa aconteceu, com a Ferrari dominando a primeira fila, contrariando o domínio imposto pela McLaren nos treinos livres de quinta. Mais surpresa ainda foi a pole de Massa, que confessou antes dos treinos não gostar de andar em Mônaco, e que seu principal objetivo para o final de semana seria somar alguns pontos para o campeonato.
A última pole brasileira no circuito foi em 1991, com o lendário Ayrton Senna, também conhecido pela alcuna de "Rei de Mônaco".
Nelson Piquet decepcionou mais uma vez, e sequer chegou ao Q2, ao passo que seu companheiro de equipe Fernando Alonso continnua tirando leite de pedra e classificou em 7º lugar. Rubens Barrichello também não teve um desempenho satisfatório, ficando com a 15ª colocação no grid.
De acordo com a previsão do tempo para Mônaco, a tarde deste domingo será de tempo fechado, com uma probabilidade de precipitação de quase 90%. Podemos esperar o caos para esta corrida, o que pode derrubar qualquer favoritismo da parte das equipes que largam na ponta, principalmente no caso de Felipe Massa, que não anda bem em traçado molhado. Portanto, podemos esperar duas corridas distintas: a primeira, caso não chova, será o velho e conhecido desfile de carros, e aquele que terminar a primeira volta na frente fatalmente será o vencedor; a segunda, caso chova, será imprevisível, e os pilotos com maior sensibilidade como Kimi Raikkonen e Fernando Alonso irão se destacar.

Equipe F1 Critics

sábado, 24 de maio de 2008

Previsões para Mônaco 08 - Treino Classificatório: E se chover?

A previsão do tempo para Mônaco durante os treinos deste sábado indica uma probabilidade de 40% para a ocorrência de pancadas de chuva. Se tal cenário se concretizar, o caos se instalará e tudo pode acontecer durante a classificação. Em situações de pista molhada, sem a ajuda do controle de tração, a importância do piloto no conjunto carro-piloto sobe dos comuns 30% para pelo menos 50%. Além disso, temos de levar em conta o perfil do circuito monegasco, que é um dos mais exigentes do calendário em relação às habilidades dos pilotos. Sendo assim, podemos esperar que pilotos com mais "braço" se destaquem nesta situação, e uma classificação sob chuva pode levar Fernando Alonso (vencedor deste GP nos últimos dois anos) às primeiras posições do grid, bem como permitir à Rubens Barrichello brigar para estar no Q3. E como em todas as corridas realizadas com piso molhado, muitas surpresas podem acontecer.
Mas como foi destacado no título, tudo pode ocorrer SE a chuva vier. Torceremos então para o imponderável.

Equipe F1 Critics

Previsões para o GP de Mônaco 08

Como será de costume em todos os GPs da temporada, a equipe F1 Critics irá publicar previsões para os treinos classificatórios e também para as corridas. Além disso, após cada GP, será feito um balanço geral da corrida e da situação do campeonato.

Sendo assim, este espaço receberá sempre uma atualização nas sextas-feiras a noite, contendo as previsões para os treinos oficiais, e no sábado após os treinos, conjecturando sobre as possibilidades da corrida do dia seguinte.

Portanto, meus amigos, divirtam-se!!!

Equipe F1 Critics

quinta-feira, 15 de maio de 2008

KERS – Kinetic Energy Recovery System

Já está confirmada para a temporada 2009 a inclusão do KERS, que segundo nosso narrador global significa “Sistema de Recuperação de Energia Kinética” (sic). Mas como funciona e como este sistema pode influenciar o esporte? Independente do nome, o objetivo do proposto é recuperar a energia utilizada para frear o carro, e reutilizá-la como uma potência extra na aceleração. Através de um botão no volante o piloto poderá liberar a energia armazenada (cerca de 80HP) por um período de tempo entre seis e sete segundos. Este ganho de potência poderá ajudar os carros a realizar ultrapassagens com mais freqüência, aumentando a competitividade da categoria na pista.

Inicialmente, idealizou-se um sistema híbrido eletro-mecânico, armazenando a energia em uma bateria, similar ao que existentes nos carros de passeio, que utilizam parte da potência de eixo para restaurar a energia elétrica da bateria. Esta energia armazenada então seria aplicada diretamente no eixo traseiro do carro, possivelmente através de um motor elétrico. Porém, um conjunto deste tipo seria caro, pesado e ocuparia um grande espaço no carro.

A segunda alternativa encontrada é utilizar um sistema conhecido como flybrid. Ao invés de armazenar a energia em baterias, este sistema utiliza uma engrenagem girante para fazê-lo mecanicamente. O funcionamento é bastante parecido com o daqueles carrinhos de fricção, os quais são puxados para trás e quando liberados movem-se na direção oposta por meio de uma pequena engrenagem interna.

No sistema flybrid, a energia da frenagem é repassada para a engrenagem por meio de uma transmissão continuamente variável (CVT). Como resultado, a engrenagem gira a velocidades enormes, a cerca de 64500 rpm. Para liberar esta potência, a embreagem acopla o CVT ao sistema de transmissão do carro, que libera a energia para o eixo de rodas, despejando toda a potência nas rodas e pneus. Para um melhor entendimento do funcionamento do sistema, é interessante assistir o vídeo na seqüência.




Até o início desta temporada nenhuma equipe havia testado o KERS em seus carros, mas Ross Brown, diretor técnico da Honda, confessou que em um dos últimos testes de pista a equipe utilizou uma versão preliminar do seu sistema. Há indícios de que tanto a Honda quanto a Toyota estariam desenvolvendo uma versão elétrica do KERS, enquanto Renault e BMW estariam optando pela versão mecânica do sistema.

Parece-me que este sistema pode realmente ajudar nas ultrapassagens, ainda mais se acompanhado pelas novidades aerodinâmicas a serem implementadas na próxima temporada, juntamente com a volta dos pneus slick.

Equipe F1 Critics

terça-feira, 13 de maio de 2008

F1 2008 - GP da Turquia

Neste final de seamana Felipe Massa correu de forma consistente e conquistou sua terceira vitória seguida no circuito turco, apesar da pressão exercida por Hamilton durante a primeira metade da corrida. Pressão esta que resultou na bela ultrapassagem do inglês em cima do brasileiro.

Até este momento na corrida parecia que a McLaren havia diminuído a diferença para com os carros da Ferrari, mas uma estratégia de três paradas aliada a uma pilotagem de alto nível do piloto inglês explicou o bom rendimento dos carros prateados.

O atual campeão Kimi Raikonnen fez uma corrida inteligente, poupando o carro e garantindo mais seis pontos no campeonato e se mantendo na liderança da tabela. Além disso, fez a melhor volta da corrida.

Vale lembrar também a boa atuação do bi-campeão Fernando Alonso, que chegou em sexto lugar com a cadeira elétrica da Renault. A equipe francesa é apenas a sexta força do grid, atrás de Red Bull (que utiliza motores Renault) e Williams.

Na BMW, analisando apenas a tabela de classificação, parece haver um equilíbrio grande entre seus dois pilotos, separados por apenas 4 pontos. No entanto, tem-se observado uma superioridade do polonês Robert Kubica sobre Heidfeld, principalmente em voltas de classificação.

Finalmente, é preciso lembrar do recorde de GPs disputados batido por Rubens Barrichello neste fim de semana. O brasileiro é um dos poucos detentores de recordes na fórmula 1, e um especial sobre o fato será publicado em breve aqui no site.

Abaixo você confere o resultado do último GP.



Equipe F1Critics